OOXML = ISO 29500 – Microsoft Ganha, todos perdemos

Pois é Aconteceu o que temíamos: o OOXML agora é o ISO 29500 (com link apenas para que não achem que isso é um “1° de Abril” atrasado). Com uma série de defeitos técnicos e irregulariedades, e contando com o voto de “importantes países” como Azerbaijão, Costa do Marfim, Casaquistão, e Trinidad e Tobago, a Microsoft conseguiu seu intento e agora OOXML é um “padrão internacional”.
Ou seja: ela ganha, nós perdemos.
Por favor, não me venham dizer aquele positivismo polianista de que tudo está OK e que veremos implementações livres do OOXML logo. Sinceramente, um padrão de 6000 páginas, cheia de problemas técnicos e incertezas jurídicas, sobre os quais eu cansei de falar nesse blog, e que foi comentado por muita, muita gente, apenas fez com que a Microsoft conseguisse uma ferramenta para legitimar seu monopólio e ao mesmo tempo minou completamente a legitimidade da ISO, vítima de suas próprias decisões e da má-fé de Redmond. Mesmo que não houvessem os riscos de “patente submarina” (prefiro o termo “campo minado de Propriedade Intelectual”), a complexidade dos padrões e as questões dos artefatos de implementação complicam e muito o desenvolvimento de uma solução à parte da Microsoft de implementação do OOXML. Essa é a preocupação justamente do pessoal da ODF Alliance:

ODF Alliance Weblog – ODF Alliance Statement on the ISO Vote on OOXML

The process itself brought to the fore OOXML’s deficiencies that will prevent its use by public administrations, chief among them that OOXML remains a “community of one”—undocumented features, IPR restrictions, and features and functionality linked to other Microsoft products that will prevent OOXML’s use in other software products. (…) Nothing about the process will provide governments with any more confidence in OOXML’s openness and interoperability than they had before the vote.

Traduzindo:

O próprio processo [de padronização] trouxe à luz todas as deficiências que irão impedir o uso do OOXML na administração pública, a começar pelo fato de que o OOXML continua sendo uma “comunidade de uma pessoa só” – recursos não documentados, restrições relacionadas a Propriedade Intelectual, e recursos e funcionalidades ligadas a outros produtos Microsoft que o impedirão de ser usado com outros produtos (…) Não houve nada nesse processo que ofereceu aos governos qualquer confiança adicional na abertura e interoperabilidade do OOXML. (Grifos Meus)

Ou seja, qual a confiança que um governo, que possui necessidades críticas em vários sentidos quanto a documentação, possui de adotar o OOXML? Quais as garantias de compatibilidade, interoperabilidade, abertura e transparência do mesmo? Quais são as garantias que, uma vez que um governo crie uma estrutura baseada no OOXML, independente de utilizar produtos Microsoft ou não, ele poderá o fazer sem riscos e sem a possibilidade de processos por patentes ou qualquer outro tipo de infração de propriedade intelectual?
Governos necessitam armazenar documentos por 10, 20, 30, até mesmo 50 anos dependendo o documento, apenas pelo caráter legal. Confiar em um formato onde, a qualquer momento, uma pessoa, não importa qual, pode simplesmente dizer que vai levar a bola para casa e pior, que todo mundo que jogou com ele vai ter que pagar por ter usado a bola, é algo para dizer o mínimo temerário.
Isso é uma coisa que não poderia passar, como não passou e a ODF Alliance comenta:

ODF Alliance Weblog – ODF Alliance Statement on the ISO Vote on OOXML

The vote shined a spotlight on OOXML that will not dim. Only in response to growing public pressure has Microsoft promised to make changes to OOXML, and, to be sure, similar promises have been made on numerous occasions. To avoid any questions concerning the legitimacy of the vote, which included many documented irregularities, Microsoft needs to ensure that these promises made to national standards bodies are actually delivered.

Tradução:

A votação [de padronização da ISO] acendeu um sinal de alerta no OOXML que não irá apagar-se. Foi apenas graças à pressão pública que a Microsoft prometeu fazer mudanças no OOXML, o que, para ser sincero, já aconteceu antes em várias ocasiões. Para evitar questões relacionadas à legitimidade da votação, que inclui muitas irregularidades documentadas, a Microsoft tem que garantir que essas promessas feitas aos órgãos nacionais [de padronização] sejam realmente cumpridas. (Grifos meus)

Agora, será que isso acontecerá? De uma maneira otimista, eu gostaria que sim: gostaria de ver maior interoperabilidade entre os vários produtos. Porém, conhecedor do retrospecto (me sinto tentado a usar o termo karma) da Microsoft, não vejo como ter tais esperanças.
A ISO também sai perdendo nesse processo. Ao deixar que uma série de irregularidades ocorre-se (e perceba que a participação da Microsoft em vários NBs ou de seus Partners não é em si tal coisa), ela comprometeu todos os fundamentos que a tornavam digna de crédito: ao abaixar a cabeça para não ver o que aconteceu em vários países, ela acabou recebendo e aceitando sua parcela de culpa por um processo que, a meu ver, foi feito de maneira completamente errada. E se você acha que isso é blá-blá-blá meu, veja no mapa abaixo o tanto de caveiras que existem no mapa (cada caveira indica um país onde foram constatadas irregulariedades sérias no processo):
Clique para ampliar
Desse modo, o que aconteceu é que a ISO, ao “fechar-se em copas” em relação a essas falhas sérias do OOXML acabou perdendo muita coisa:

R.I.P. International Standards Organization « Adventures in a Perambulator

A failure, on the part of ISO, in so re-evaluating this situation during the next 2 months will result in my calling into question anything considered a standard by ISO. Any government, organization, agency or other that uses ISO as the authority for anything being a standard will be asked to prove that it actually is a standard: ISO authority will not be an acceptable response. It is my opinion that by this action of approving MSOOXML as a standard, ISO has demonstrated that it lacks the qualifications to adequately evaluate technical material and has further shown that its ethical behavior is subject to the highest bidder.

Traduzindo:

Uma falha por parte da ISO em reavaliar essa situação [de considerar padrão qualquer coisa que lhe seja empurrada goela abaixo] nos próximos dois meses me levará a questionar qualquer coisa que a ISO considere padrão. Qualquer governo, organização, órgão ou afim que use a ISO como autoridade para qualquer coisa que seja considerada um padrão deverá se questionar se realmente isso é um padrão: apenas a autoridade da ISO não será mais uma resposta aceitável. Na minha opinião, ao aprovar o MSOOXML como um padrão, a ISO demonstrou ter perdido as qualificações para adequadamente avaliar materiais técnicos e também demostrou que seu comportamento ético é digno de intenso repúdio. (Grifos meus)

Deixando-se penetrar por um processo que, embora tenha seguido (ainda mal-e-mal) a letra da norma, foi corrompido por trás dos panos por uma série de questionamentos, irregulariedades, lobbies e afins, a ISO perdeu (ou ao menos manchou) sua credibilidade. Se tal aprovação viesse de um consenso, seja por Fast-Track ou não, a ISO manteria sua credibilidade. Porém, ao aceitar as pressões de Redmond e não questionar como as coisas ocorreram nos países, aceitando passivamente isso, ela deixou essa credibilidade ser maculada (de maneira permanente, potencialmente) e, desse modo, colocou em xeque TODOS os padrões ISO. Alguns, como ODF, PDF e ISO 9000 escaparam ilesos, uma vez que são reconhecidos não apenas por meio da ISO, mas por suas próprias qualidades. Os demais, porém, passarão a ser questionados cada vez mais.
Eu duvido que em algum momento os questionamentos feitos foram realmente levados a sério. Parece choradeira de mau perdedor, mas se você ler os artigos do meu blog sobre o assunto, você verá que em si não sou contra o OOXML. O que eu sou contra é que, como colocado, o OOXML é uma forma de obter-se um crivo internacional a um monopólio que vem a dar poderes ilimitados apenas a uma empresa.
Não vou continuar repetindo meus entendimentos sobre o OOXML: basta ler aqui no meu blog todos os artigos que escrevi sobre o assunto. Porém, o que vou afirmar é que, a não ser que o processo de padronização do OOXML seja revertido, ninguém mais confiará na ISO e ela irá obter a mesma reputação que a Microsoft (que não é lá muito boa).
Gostaria de citar o desabafo do Jomar, alguém que camelou demais e viu seus esforços por um padrão realmente técnico e correto ser atropelado por um rolo compressor vindo de Redmond:


OpenXML: Eles realmente ganharam ? | void life(void)

Se a decisão é de que problemas são “coisinhas”, ela não foi técnica e portanto ganhamos todos um grande exemplo de onde se chega quando se coloca a boa técnica de lado (ou alguém aí consegue, sem consumir substâncias alucinógenas, acreditar que ter CINCO RECOMENDAÇÕES OFICIAIS PARA SE ESCREVER UMA SIMPLES DATA é algo lógico e natural !!! E que isso ainda irá contribuir para o aumento da interoperabilidade ?). Prá falar a verdade, como fã de Rock’n Roll eu até que vi um bom “revival” da lisergia dos anos 70 nisso tudo (pois só com muito LSD na cabeça eu talvez conseguisse explicar e defender publicamente a tese de que uma só norma internacional é na verdade cinco que na verdade possue duas cláusulas de conformidade que a torna dez sendo ao mesmo tempo uma… fiquei até tonto só de pensar nisso para poder escrever…e olha que eu não tomei nada, heim…).

Ou seja, na realidade, a ISO e todo o processo do Fast-track foi apenas uma forma da Microsoft conseguir um Selinho de ISO para o Office 2007. Sabe, como os selinhos ISO-9000 que qualquer empresa deseja para mostrar que seu produto é o máximo, ainda que ele seja uma porcaria… ainda que seja a mesma porcaria o tempo todo? Como um padrão com redundâncias, discrepâncias, contradições e afins passou pela ISO, que deveria zelar pela qualidade técnica?
E para realmente terminar esse post, deixo as mesmas perguntas do Jomar à Microsoft:

OpenXML: Eles realmente ganharam ? | void life(void)

  1. Quando o Microsoft Office vai suportar a IS 29500 (ele agora suporta apenas o ECMA-376, que é uma especificação diferente) ? E quais delas serão suportadas (IS 29500-1, IS 29500-2, IS 29500-3, IS 29500-4, IS 29500-5) com quais classes de conformidade (viu como agora vai ser bem fácil comprar uma suite de escritório que suporte o OpenXML…) ?
  2. Quando sai o próximo Service Pack do OpenXML ?
  3. Vocês já prepararam algum mecanismo de Auto-Update na ISO ? Vai ser via plug-in ou via backdoor mesmo ?

Por isso, apesar de tudo isso, continuo apoiando o ISO 26300 (ODF) como o verdadeiro formato de documentos padrão.

Office OpenXML (OOXML) e inapto pela ISO 29500

Powered by ScribeFire.

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

11 Responses to OOXML = ISO 29500 – Microsoft Ganha, todos perdemos

  1. Pingback: Global Voices Online » B-razi-loggers Rage and Roll Against ISO Approval of Microsoft Standard

  2. Pingback: Eco-Rama » B-razi-loggers Rage and Roll Against ISO Approval of Microsoft Standard

  3. Pingback: ODF x OOXML: interoperabilidade e padronização para quê? « Jackson Medeiros Weblog

  4. Pingback: Por que não me surpreendo? Documentos produzidos no MS Office 2007 NÃO SÃO COMPATÍVEIS com DIS 25900 (OOXML) « Linux… e mais coisas

  5. Pingback: Conheça a história – Por que um padrão aberto de documentos é tão importante? « O Futuro é a Liberdade

  6. However, what one might not be conscious of is that coconut oil is also known
    to be an antibiotic since it is capable of performing the
    same kinds of tasks as they do, and work in the same mechanism like them.
    Take two or three tablespoons of coconut oil a day to strengthen
    your immune system. Inside a nutshell, this oil will not
    be saved in the physique as fat because it is instantly used and it also helps burn the fats formerly saved inside the body.

  7. Latrice disse:

    Rooibos tea purportedly has similar levels of antioxidants as
    the green and white teas. Experts also provide fast shipping services
    to you as per your requirements at your doorsteps.

    At home, I stared at the leaves as I tried to decide how to brew them.

  8. Thorsten disse:

    For acute cold and cough, turmeric paste is applied in the forehead before going to bed.
    Research studies on the health benefits of turmeric both on humans as well as animals are
    numerous. Sauces, breads, crackers, and other “nonsweet” foods that contain hidden sweeteners (not only sugar but
    high fructose syrup and corn syrup appears often on ingredient lists).

  9. With all the new research turning out new information to help
    us stay healthy and get rid of many illnesses that are rearing their
    ugly heads over the last 60 years, we are finding our way back
    to natural wholesome products and all their glory. As we age,
    our skin becomes thinner and often becomes very dry skin.

    Take fewer baths or showers; they’ll dry out your skin even more.

  10. healthy oils disse:

    This is because the skin of the face has been stretched downward onto the neck and left there.
    My hypothesis is that Vitilago is a systemic fungal condition similar to,
    if not, Candidiasis (yeast overgrowth). Macadamia
    Natural Oil Healing Oil Treatment can be performed on damp or dry hair.

  11. Pingback: Try the best tablet PC and tablet PC with quad core CPU. 2LooK Android tablet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s