Por que não me surpreendo? Documentos produzidos no MS Office 2007 NÃO SÃO COMPATÍVEIS com DIS 25900 (OOXML)

Certas coisas, quando você lê, não te surpreende. Não interessa o que, mas certas coisas, ao lê, não te surpreende. No meu caso foi ler que, via Groklaw, que documentos MS Office 2007 não são compatíveis com o ISO 25900, também conhecido como OOXML.
Surpreendente? Calma que a coisa ainda vai fiar pior!!!
Bem, tudo começa quando Alex Brown, um dos pais dessa aberração chamada OOXML, decide fazer um teste após receber os schemas atualizados com as modificações sugeridas no BRM.

Griffin Brown Weblog – OOXML and Office 2007 Conformance: a Smoke Test

I was excited to receive from Murata Makoto a set of the RELAX NG schemas for the (post-BRM) revision of OOXML, and thought it would be interesting to validate some real-world content against them, to get a rough idea of how non-conformant the standardisation of 29500 had made MS Office 2007.

Not having Office 2007 installed at work (our clients aren’t using it – yet), the first problem is actually getting a reasonable sample for testing. Fortunately, the Ecma 376 specification itself is available for download from Ecma as a .docx file, and this hefty document is a reasonable basis for a smoke test …

Resumindo aqui, uma vez que a tradução seria longa e desenecessária: ele recebeu os novos schemas do OOXML atualizados para considerar as modificações do BRM e decidiu validar algum conteúdo “real” para ter uma idéia de o quão não-padronizado um arquivo .docx produzido pelo MS Office 2007 era. Como ele não tinha nenhum Office 2007 à mão, ele utilizou as próprias especificações do OOXML segundo a ECMA, que foram publicadas em… .docx.
Perceba a fina ironia: o que deveria confirmar o padrão acabou tornando-se um caso de uso negativo contra o mesmo. Acha engraçado? Eu não.

Griffin Brown Weblog – OOXML and Office 2007 Conformance: a Smoke Test

The main document (“document.xml”) content for Part 4 of Ecma 376 weighs in at approx. 60MB of XML. (…) So we have a document and a RELAX NG schema. All that’s necessary now it to use jing (or similar) and we can validate (…) The STRICT conformance model is quite a bit different from Ecma 376, essentially because most of that format’s most notorious features (non ISO dates, compatibility settings like autospacewotnot, VML, etc.) have been removed. Thus the expectation is that existing Office 2007 documents might be some distance away from being valid according to the strict schemas.

Sure enough, jing emitted 17MB (around 122,000) of invalidity messages when validating in this scenario. Most of them seem to involve unrecognised attributes or attribute values: I would expect a document which exercised a wider range of features to generate a more diverse set of error message.

Traduzindo

Os conteúdos do documento principal (“document.xml”) da Parte 4 do ECMA 376 [a primeira versão do OOXML] tinham algo em torno de 60 MB de XML (…) portanto tinhamos um documento e um schema em formato RELAX NG. Tudo o que precisávamos portanto era usar o jing [validador de documentos segundo schemas RELAX NG feito em Java] ou outros sistemas similares e poderíamos validar o documento (…) O modelo de conformitade STRICT é um tanto diferente do ECMA 376, essencialmente por causa de que os mais notórios recursos (como datas não-ISO, informações de compatibilidade como os do autospacewotnot, VML, etc.) forma removidos. Desse modo a expectativa era de que documentos Office 2007 deveriam estar longe de serem considerado válidos segundo schemas restritos.
Obviamente, o jing retornou algo em torno de 17MB (ou por volta de 122.000) de mensagens de erro enquanto validando o documento nesse cenário. A maior parte deles tem a ver com atributos ou valores de atributos não reconhecidos: imagino que um documento que utilize uma gama maior de recursos provoque uma gama maior de erros.
(Grifos meus)

Note que o próprio autor assume que (1) documentos do MS Office 2007 não estavam longe de serem considerados padrão e (2) que documentos que usassem mais recursos provavelmente gerariam mais mensagans de erro.
Agora, a pergunta é: se o formato foi padronizado, quanto tempo o usuário do Office 2007 deveria esperar para ter documentos DIS-25900 compliant, uma vez que o Office 2007 é a “implementação de referência” do OOXML? Como comparação, o OpenOffice.org é a “implementação de referência” do ODF, e levou apenas duas semanas para que o mesmo gerasse documentos ODF compliant.
No mesmo post, o autor mostra um outro schema, TRANSITIONAL, que é mais “liberal” que o STRICT. Mesmo assim, o documento gerou mensagens de erro relacionadas a uma tag específica. As concluões? O próprio autor coloca:

Griffin Brown Weblog – OOXML and Office 2007 Conformance: a Smoke Test

  • Word documents generated by today’s version of MS Office 2007 do not conform to ISO/IEC 29500
  • Making them conform to the STRICT schema is going to require some surgery to the (de)serialisation code of the application
  • Making them conform to the TRANSITIONAL will require less of the same sort of surgery (since they’re quite close to conformant as-is)

Traduzindo:

  • Documentos do Word gerados pela versão atual do MS Office 2007 não são compatíveis com o ISO/IEC 29500
  • Torná-los compatíveis com o schema STRICT demandaria alguma “cirurgia” nos códigos de (de)serialização de objetos na aplicação
  • Torná-los compatíveis com o schema TRANSITIONAL demandaria menos “cirurgia”, uma verz que ele está mais próximo da compatibilidade como-está;

Para resumir:

  1. Documentos do Word 2007 não são compatíveis com o OOXML;
  2. Torná-los compatíveis fielmente ao padrão OOXML (ISO 29500) demandaria grandes modificações no código do Office 2007;
  3. Torná-los compatíveis ao schema de transição demandaria poucas modificações, uma vez de que este schema está mais próximo do Office 2007;

Será que sou só eu que ainda acredito que isso não passou de um motivo para a MS arrumar um selinho de ISO para seus produtos e ainda assim manter seu lock-in nos documentos?
Além disso, será que a própria Microsoft não irá sabotar esse “padrão ISO” por si? O autor do post que estamos comentando é otimista (talvez de maneira quase Polianística):
Griffin Brown Weblog – OOXML and Office 2007 Conformance: a Smoke Test

Given
Microsoft’s proven ability to tinker with the Office XML file format
between service packs, I am hoping that MS Office will shortly be
brought into line with the 29500 specification, and will stay that way.
Indeed, a strong motivation for approving 29500 as an ISO/IEC standard
was to discourage Microsoft from this kind of file format rug-pulling
stunt in future.

Ou seja

Dada à habilidade da Microsoft de melhorar o formato do Office XML por meio dos service packs, espero que logo o MS Office seja alinhado com as especificações 29500 e assim permaneça. De fato, um dos maiores motivadores para a aprovação do 29500 como um padrão ISO/IEC foi como uma forma de desencorajar a Microsoft quanto a essa atitude de discrepâncias em relação ao padrão no futuro.

Diferentemente do autor do post em questão, sou mais cético: o retrospecto histórico, inclusive durante o processo de padronização do OOXML, da MS joga contra ela. Porém, espero realmente que, caso a MS continue por essa vereda, que ela ao menos alinhe-se ao padrão que, por mais ruim que seja, ela ajudou a criar. Mas até lá, vou continuar atento, observando isso e evitando ao máximo o OOXML.

Office OpenXML (OOXML) e inapto pela ISO 29500

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s