Está decidido: Brasil mantêm o NÃO ao OOXML. Mas ainda estão surgindo coisas estranhas

O Avi Alkalay da IBM postou ontem a noite e eu replico aqui: o Brasil vai dizer novamente NÃO ao OOXML. E o motivo disso é o mais simples possível: “OOXML is an awful specification“. Ou seja, o OOXML é simplesmente horrível.
O Avi é parte do grupo de estudo na ABNT para o OOXML, junto com outras pessoas que já citei nesse blog, como o Cézar Taurion, o Deivi Kuhn, o Jomar e outros. É interessante ler também a explicação mais detalhada do Avi quanto a essa decisão.

OOXML: Brazil Says NO. Again. :: Avi Alkalay

That outcome was expected because we simply followed the process: technically analyze the OOXML specification, make comments, wait for responses, analyze them and see if all problems were fixed. Is there any single remaining unresolved problem? Vote NO. And in fact there were many many unresolved problems.

Tradução (o Avi posta bastante em inglês, apesar de ser brasileiro):

Esse resultado já era esperado, pois simplesmente seguimos o processo: analisar a especificação do OOXML tecnicamente, comentá-la, esperar respostas, analisá-las e ver se todos os problemas foram corrigidos. Ainda tem problemas sem solução? Vota-se NÃO. E a verdade é que existem muitos problemas não resolvidos.

Isso já foi mencionado em posts anteriores, onde dizemos que existe uma coisa muito importante na questão de padronização, que inclusive é o fundamento básico da existência de órgãos como a ABNT e a ISO, que é o fato de que deve-se obter um consenso antes que um padrão seja adotado. Nesse entender, a votação é apenas uma formalização do consenso, não o consenso em si. O processo de normalização, não importa se comum ou por vias como o Fast-Track adotado pelo OOXML (e pelo ODF, via PAS – Publicly Available Specification), deve ser entendido como um processo onde as partes envolvidas deveriam alcançar o consenso, como bem esclarece os representantes gregos no BRM do OOXML, por meio de Antonis Christofides.
Some clarifications on the OOXML Ballot Resolution Meeting — ΕΜΠ – Τυποποίηση

First, it is important to clarify that the BRM did not say either that the specification is OK, or that it is not OK, because it is not within its competence to say such a thing. There was good co-operation, and, to a large extent, good will, from all sides, because the BRM has a single purpose: make the specification better. Let me repeat that: the BRM has the single purpose of making the specification better, so that if it is accepted, it is the best possible. Or, the same thing viewed from another viewpoint, the BRM attempts to make it better, to maximize its chances of going through. Well, this is in theory, of course; in practice some want to maximize its chances of not going through, and I’m certain that it’s not the first standard in which this happens.

Tradução:

Antes de mais nada é importante deixar claro que o BRM não tem como objetivo determinar se a especificação está pronta ou não, porque esse não é seu objetivo. Havia um clima bom de cooperação e, de maneira geral, de boa vontade de todos os lados. Porque o BRM tem um objetivo simples, que é tornar a especificação melhor. Deixe-me repetir: o BRM tem um objetivo simples, que é tornar a especificação melhor, de modo que caso ele seja aceito ele seja o melhor possível. Ou, vendo as coisas de um outro ângulo, o BRM tenta torná-lo melhor, de modo a aumentar suas chances de ser aceito. Ou ao menos essa é a teoria; na prática alguns tentam aumentar as chances dele ser reprovado, e  estou certo que esse não é o primeiro caso onde isso acontece. (Grifos meus)

A visão dele bate com o que o Avi disse: a idéia é que, por meio dos comentários, sejam avaliado problemas em potencial com o padrão. O problema é que, apesar de tudo o que tem sido postado na Net disendo que o BRM foi um sucesso, a realidade é outra:

Some clarifications on the OOXML Ballot Resolution Meeting — ΕΜΠ – Τυποποίηση

The fact that 98% of Ecma responses were adopted means that the BRM believes that they improve the original text. It does not mean that the BRM believes that the resulting text is OK. My opinion, for example, and many delegates agree with me, is that the Ecma responses make the text slightly better, but though slightly better it is still abysmal.

Tradução:

Some clarifications on the OOXML Ballot Resolution Meeting — ΕΜΠ – Τυποποίηση

Na realidade, o fato de 98% das respostas dadas pela ECMA [NA: órgão que foi o primeiro a adotar o OOXML como padrão e meio que um “patrono” do OOXML] terem sido adotadas quer dizer que elas melhoraram o texto [do padrão], mas isso não quer dizer que ele esteja pronto. Na minha opinião [do Antonis], por exemplo, e muitos delegados concordam comigo, é que as respostas da ECMA tornaram o texto um pouquinho melhor, mas ainda assim ele é horrível.

Desse modo, podemos perceber que o nosso amigo grego concorda com o que o Avi disse: por mais que as coisas tenham melhorado um pouco, o formato ainda assim é horrível.
E ainda assim as coisas podem ficar ainda pior: órgãos nacionais (NBs) como o do Brasil e da Grécia tem procurado o consenso, o mesmo em vários outros. Mas existem órgãos nos quais tudo não passa de votação. Nesse caso as coisas se complicam de vez:
OOXML: Brazil Says NO. Again. :: Avi Alkalay

Technically speaking, if your country’s vote was YES or ABSTENTION, one of these possibilities happened:
  1. Nobody had time to analyze the OOXML specification and the ABSTENTION was the right choice.
  2. Nobody had time to analyze the OOXML specification and a few people decided for you to vote YES, based on ideology or a result of lobby, not technology benefits.
  3. Even having time to analyze the OOXML specification, a few people decided for you to vote YES, based on ideology or result of lobby, not technology benefits.

Traduzindo:

Falando tecnicamente, se um país votou SIM ou ABSTENÇÃO, aconteceu uma das seguintes coisas:

  1. Ninguém teve tempo de analisar a especificação do OOXML e a ABSTENÇÃO foi a melhor opção;
  2. Ninguém teve tempo de analisar a especificação do OOXML e algumas pessoas decidiram votar SIM baseando suas decisões em ideologia ou como resultado de lobby, e não pelos benefícios técnicos;
  3. Mesmo tendo tempo de analisar a especificação do OOXML, algumas
    pessoas decidiram votar SIM baseando suas decisões em ideologia ou como
    resultado de lobby, e não pelos benefícios técnicos
    ;

(Grifos meus)

Ou seja: o que foi feito por vários NBs que votaram a favor do OOXML não foi feito por qualidades técnicas do formato (que devem existir), mas sim por pressão empresarial, lobby ou favorecimento ideológico. Pode-se alegar que o mesmo ocorreu no ODF, mas existem dois fatores que diferenciam esses casos:

  1. ODF não possui uma companhia por trás. Embora a Sun tenha sido a fornecedora do “formato de referência” (o antigo formato Star Office XML), ainda assim ele passou por uma organização de normatização (a OASIS) e foi trabalhada de modo a tornar-se um novo formato, o qual foi publicado e divulgado para análise, sendo que o mesmo foi aprovado por unanimidade na ISO;
  2. ODF é um formato muito menor em tamanho do que o OOXML, e o processo de PAS leva “menos tempo”. Na realidade, leva menos tempo porque, como eu disse anteriormente, ele já vem com um consenso firmado, sendo a votação apenas uma formalização desse consenso;

Agora, ainda assim, existem países que votaram favorável ao OOXML? Sim, como a República Checa. Já outros, como a Polônia, ainda estão em dúvida, mas as coisas ficam ainda mais complicadas quando você analisa o que está acontecendo por trás dos panos:

  • Já existem confirmações de “inflação” dos NBs de vários países com representantes da Microsoft ou partners da mesma que, de outra maneira, sequer saberiam de tudo isso. Exemplos dessa “inflação” são os casos dos NBs de Portugal, Estados Unidos, da Suécia (tendo seu voto invalidado), da Índia (que por incrível que pareça acabou votando NÃO) e da Romênia;
  • A Microsoft vem criando atritos com os seus “opositores” propositalmente: na Romênia, representantes do comitê de estudos do OOXML no NB local que se opunham ao formato foram impedidos de votar;  na Índia, após ter sua posição negada, ela reclamou contra o NB;

Existe muito mais coisas estranhas por aí. É importante ficar atento, pois esse é um formato que é simplesmente horrível, como foi dito pelo Avi.
Fiquemos atentos aos próximos acontecimentos.

Office OpenXML (OOXML) e inapto pela ISO 29500

Powered by ScribeFire.

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

2 Responses to Está decidido: Brasil mantêm o NÃO ao OOXML. Mas ainda estão surgindo coisas estranhas

  1. Pingback: O que a Microsoft e sites pornô têm em comum? « Linux… e mais coisas

  2. Pingback: OOXML = ISO 29500 - Microsoft Ganha, todos perdemos « Linux… e mais coisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s