Campus Party 2009 – Resumo da Ópera (Longo)

OK… Já vai alguns dias que acabou a Campus Party, e portanto é uma ótima hora para falar sobre ela, sem muita pressão e tal. Desse modo, posso comentar os bons e ruins sem muito medo.
Bem, se você não quer saber sobre a Campus Party, pule esse post pois ele é muito, MUITO LONGO MESMO!!!
Então, prepare-se para a viagem!

Dia 1 (Segunda, dia 19/01) – A Chegada

CampusParty2009-Dia1_001.jpgOK… Malas prontas, saí de casa cedo para estar no Centro de Exposições Imigrantes bem cedo. Isso na verdade se deveu mais ao fato de estar com muita, muita mala mesmo, o que prejudicava o deslocamento (malas pesadas não ajudam) e portanto o ideal era chegar o mais cedo possível no Centro de Exposições Imigrantes e desse modo evitar questões de segurança. CampusParty2009-Dia1_033.jpg Não que eu tivesse a esperança de chegar e a fila estar pequena. A fila estava bem grande quando cheguei, e piorou com o tempo, uma vez que o credenciamento foi liberado apenas a partir do meio-dia.
CampusParty2009-Dia1_040.jpgBem, o credenciamento foi aberto e bem rápido. Em menos de cinco minutos já estava com a credencial que me acompanharia durante todo o evento (principalmente porque era por ela que era feita toda a conferência dos equipamentos). Em seguida algum quiprocó aconteceu: foi informado que não era necessário realizar o cadastramento do equipamento para ir pegar a barraca, mas na verdade essa regra se aplicava apenas para desktops. CampusParty2009-Dia1_058.jpgComo tinha um notebook, fui barrado na entrada da área do camping. Tudo bem, um pouco de desinformação não é algo tão negativo, então lá fui realizar o cadastramento do notebook e instalá-lo, de modo que pudesse levar o resto das coisas para a barraca. Sem problemas, cadastramento até bem rápido: etiqueta colada no tampo do notebook e lá fomos nós para instalar a máquina em um dos pontos na área de Software Livre. CampusParty2009-Dia1_060.jpgPeguei um ponto de rede e uma tomada e liguei o notebook (obviamente colocando um filtro de linha para tomadas extras para carregadores de pilha e de aparelhos, como meu Palm, DS, ou celular). Em seguida, fui buscar a barraca.
CampusParty2009-Dia1_061.jpgA barraca tinha sido uma de minhas maiores preocupações. Com o meu tamanho avantajado (sim, sou gordo mesmo), tinha meio que sido “aterrorizado” por amigos que foram na Campus Party em 2008 dizendo que a barraca era pequena e que eu não iria caber na mesma. A verdade é que, sim, a barraca é pequena, mas não, eu acabei cabendo nela com minhas coisas. As dimensões dela se provaram razoáveis, mas não a minha idéia de usar um saco de dormir: acabei indo no Pão de Açúcar comprar um cadeado e um colchão de ar, o que acabou sendo a minha salvação. A foto ao lado mostra que coube bem as minhas coisas e eu (a área onde está o saco de dormir). Mas ela continuava cabendo apena UM Fábio (duas pessoas my ass).
CampusParty2009-Dia1_073.jpgContinuando a “odisséia”, fiz a atualização do sistema Debian do notebook e fui “almoçar”. Embora tenha comprado o pacote de alimentação, sabia que ele não valia para o almoço nesse primeiro dia. Mas tinha uma área de alimentação, onde acabei comendo um crepe francês de frango com catupiry. Só para constar, eram mais de 6 da tarde quando fui comer. Pombas, eu tinha instalado meu notebook, levado as coisas para barraca, estava cansado e suado. Em uma situação dessa você primeiro toma um banho para espantar o cansaço e a nhaca e depois vai comer!😛
CampusParty2009-Dia1_095.jpgCampusParty2009-Dia1_101.jpgNesse primeiro dia as coisas não foram tão movimentadas, portanto deu para dar um rolê e fazer até mesmo um pouco de tietagem: tirar uma foto com John “Maddog” Hall e com o Marcelo Branco. O Maddog é um cara de uma simpatia ímpar, que atende qualquer um que fale com ele (obviamente em inglês) e o Marcelo Branco tem toda a pinta de ser o cara da “linha de frente” da Campus Party.
CampusParty2009-Dia1_104.jpgBem, era hora então de ver uma coisa que me acompanharia pelo resto do evento: a comida do pacote de alimentação. Se ela fosse ruim, ter gasto 150 reais se comprovaria um grande Epic Fail. Bem, então lá fomos nós encarar a janta no bandejão (brincadeira). O sistema era o clássico self-service all youu can eat. A comida não tinha lá muita variedade (apenas uma opção de carne e duas de salada pelo que lembro), mas era bem feita e o refrigerante era incluído na faixa e pensado nas pessoas com diabetes (como eu) pois tinha sempre uma opção zero. Uma pena que nunca tenha sido Pepsi Zero e sim Guaraná Antártica (que é boa também).
CampusParty2009-Dia1_212.jpgDepois da janta não foi muito o que teve-se para fazer, exceto esperar dar meia-noite para a abertura oficial da Campus Party. Porém, a espera foi bem recompensada: no primeiro Sarau Digital, o Teatro Mágico deu uma palhinha do que iria acontecer no dia seguinte, quando iria tocar para valer. Eu tenho que admitir, não sou fã do Teatro Mágico, mas a musicalidade é fantástica e a vibe é muito boa. Para quem quiser conferir mais fotos, separei as fotos do Teatro Mágico em um álbum único no Flickr.
E após isso, fui para a minha barraca dormir e me preparar para o segundo dia, que foi quando as coisas realmente começaram a acontecer.

Dia 2 (Terça, dia 20/01) – As palestras

CampusParty2009-Dia2_107.jpgA manhã da Terça para mim foi dedicada a fotos dos Moddings e outras coisas interessantes do Campus Party. Não tinha nenhuma palestra em especial que me interessa-se nessa manhã. As coisas ficaram interessantes com a palestra de Sir Tim Berners-Lee ao meio-dia, no Espaço Telefônica (palco Principal), onde ele falou sobre o surgimento da Web e o conceito da Web Semântica. Acho bem interessante esse conceito, mas apesar do otimismo de Berners-Lee continuo achando que vai levar algum tempo até termos uma Web realmente semântica. Até porque semântica implica em contextualização, e computadores ainda não são nada bons nisso. Portanto, antes de mais nada temos que encontrar meios de fazer os computadores entender o contexto, para depois aproveitar a semantica.
CampusParty2009-Dia2_144.jpgDepois a tarde também não foi de muitas palestras interessantes. Portanto fui bater perna nos Estandes da Área Expo & Lazer da CP. Destaque para o estande do Terra, com sua massagem; para a F-Secure e todos os Wii a disposição de campuseiros e visitantes; a TV Cultura sempre presente com sua IPTVCultura e muita coisa interessante; e à Abril que levou algo normalmente não muito presente em eventos desse tipo: coelhinhas da Playboy!! Claro que não sou bobo e aproveitei para tirar a foto com as beldades, mas não passei a mão nelas, como alguns indivíduos fizeram. Mas mais sobre isso adiante.
CampusParty2009-Dia2_230.jpgCampusParty2009-Dia2_225.jpgUma das palestras que não assisti inteiras foi a de Gilberto Gil. Não porque eu ache ele chato (é até divertido), mas que eu não estava realmente com muito saco para palestras naquele momento. Mas foi legal ver ele falando que originalmente era um tanto tecnófobo (o que transparece em letras mais antigas) e atualmente é um defensor do uso de tecnologia. Ou seja: um cara com mente aberta. Por incrível que possa parecer, essa palestra foi boa para testar os ajustes manuais da minha Fujifilm Finepix s1000fd, companheira que substituiu a Sony Cybershot W30 antiga. E sim, descobri que ajuste auto + local escuro + distância + flash = FAIL. Além disso, uma foto que é bem interessante: pelo que percebi, o Fernando Anitelli, do Teatro Mágico, estava assistindo a palestra. Pelo menos a barbicha parece.
CampusParty2009-Dia2_253.jpgDepois disso, peguei meu notebook e fui para a palestra de Podcasts, que me impediu de ver o resto da palestra do Gil. A palestra seria dada em duas partes, uma na terça e outra na quarta, mas na quarta o palestrante teve problemas de ordem pessoal e acabou não indo. Desse modo, ficou sendo apenas essa parte, mas as dicas que ele deu sobre as idéias de como fazer um podcast e tudo o mais valeram, em especial as dicas sobre o uso do Audacity.
CampusParty2009-Dia2_257.jpgNa verdade, a terça ainda estava meio fraca. A partir da quarta é que o bicho realmente começou a pegar, então fui dormir. Antes de ir para a cama, uma coisa me chamou a atenção foi o casal de Floripa que transformou uma kombi em casa e sairam pelo  Brasil afora, trabalhando e fazendo tudo dentro da kombi. O papo meu com eles foi bem rápido, mas interessante, pois eles contaram as questões das complexidades da vida deles on-the-road e como eles se viram para fazer as coisas.
Então, depois disso fui dormir, me preparando para o dia seguinte.
 

Dia 3 (Quarta, dia 21/01) – Loot

CampusParty2009_Dia3_012.jpgCampusParty2009_Dia3_002.jpgO dia começou calmo e, após um café da manhã, fui assistir uma palestra sobre Python. Tenho que admitir que Python continua sendo uma linguagem que não me agrada. Na verdade, não há um motivo lógico sobre porque não gosto do Python: costumo dizer que é uma birra pessoal minha com algumas características da linguagem (o que é a pura verdade). Não que ela seja ruim: ela é ótima. Só não me agrada nem um pouco. De qualquer modo a palestra estava bem interessante, mas decidi passear um pouco na Expo & Lazer, onde fui fazer uma massagem no stand do Terra que, além de muito boa, me rendeu um squeeze metálico bastante bom!😛 E aqui começou o loot (saque) do dia, onde também consegui várias camisetas, buttons, bonés, etc…
CampusParty2009_Dia3_025.jpgCampusParty2009_Dia3_018.jpgTambém vi alguns projetos muito legais, como o do cara que usou o Wiimote para criar uma experiência de realidade virtual (nada que quem já tenha jogado Redsteel não tenha visto antes, mas com tecnologia brazuca é a primeira vez que vi) e a do Earthwalk, um sistema que permite a você literalmente andar no Google Earth. Me senti o próprio Godzilla!!!😛
Graças a esse passeio, porém, perdi a palestra do Júlio Neves sobre Expressões Regulares. Como tava muito em cima para a palestra de Podcasts (que não teve), tive que me mandar. Peguei o notebook e me mandei para a palestra De lá almocei e fui no stand do Yahoo!, onde ganhei a conta Flickr Pro que desejava! Pude então postar todas as fotos que tinha tirado da Campus Party até então!
CampusParty2009_Dia3_036.jpgCampusParty2009_Dia3_044.jpgComo não poderia deixar de ser, a Campus Party é cheia de figuras aleatórias ligadas ou não à tecnologia. Desde a blogueira e VJ Mari Moon até mesmo a seres mais bizarros ainda, como o famoso (!?) Mr. Lúdico! Pude registrar ele rapidamente na Campus Party e deixar como prova de que ele existe (o que não sabemos sobre outras coisas, como, por exemplo, o Acre :P). Essa foto foi tirada enquanto estava voltando para a palestra de Fotografia Digital. Foi legal que a palestra ajudou a desmistificar várias coisas, como a questão das fotos muito escuras ou “estouradas”. Algumas fotos muito escuras podem ser boas, assim como fotos “estouradas”. Tudo depende do que você quis passar na foto. A palestra também foi boa por elucidar alguns mistérios para os não iniciados, principalmente quanto a questão de zoom, abertura, velocidade e afins.
CampusParty2009_Dia3_070.jpgA palestra seguinte foi do Jomar Silva, da ODF Alliance no Brasil, que falou sobre o formato ODF e como desenvolver para ele. Quem me conhece sabe que sou defensor do ODF a muito tempo e essa palestra eu realmente queria assistir, pois eu preciso desenvolver ferramentas que me permitam alimentar documentos ODF facilmente, pois em minhas atividades profissionais tenho que tabular métricas de performance de ambientes de alto-desempenho (vulgo mainframe) e uma ferramenta que automatizasse isso e me gerasse planilhas ODF seria algo muito bem vindo. E na palestra o Jomar me mostrou que isso é possível. Os exemplos foram em Python, que já disse anteriormente não está entre minhas linguagens prediletas, mas o fato é que há uma forma de criar uma solução para as minhas necessidades. Portanto não tenho do que reclamar.
CampusParty2009_Dia3_159.jpgApós a palestra e ir jantar, voltei para o Sarau Digital. O pessoal do Samba de Bumbo mostrou sua arte e chamou os campuseiros para dançar. E claro que eu entrei na dança. E não apenas isso, como tirei belas fotos como a que está ao lado. O Samba de Bumbo é envolvente e divertido, e faz parte da expressão cultural do nosso país, bem diferente do que aconteceu em outros dias.
De qualquer modo, após o samba de bumbo, joguei um pouco de arcade (na verdade um comuputador usando o MAME) e fui para a cama dormir, me preparando para o dia seguinte.

Dia 4 (Quinta, dia 22/01) – Debate e confusão

Imaginando como o dia começou calmo, acho que ninguém imaginava o que iria acontecer. Mas vamos falar sobre isso mais tarde.
Sem nenhuma palestra interessante, fiz primeiro outra massagem no Terra, que me rendeu outro squeeze. Sim, sou do tipo de cara “caçador de prendas” em eventos como esse. Mas deixo claro que sou regido por dois princípios: (1) perguntar não ofende e (2) o máximo que posso receber é um não.
Aproveitei também para jogar um pouco de RockBand na Abril onde eu cometi atrocidades à bateria de That’s what you get do Paramore😛. Na verdade, não foi tão ruim assim, mas quando você fala de alguém tentando tocar bateria quando se tem dois pés esquerdos e outros problemas de coordenação…😛
CampusParty2009-Dia4_047.jpgFui assistir então à palestra do Alexandre Oliva da FSFLA (Free Software Foundation Latin America). A palestra foi bastante básica, mas pode-se dizer que foi criativa com ele usando exemplos baseados na idéia do pão (não, nenhum software, topologia, protocolo ou método… O pão mesmo. Aquele que costuma ser recheado com salsicha e catchup e mostarda para gerar um cachorro-quente). De qualquer maneira, aproveitei e comprei alguns adesivos para adesivar ainda mais meu note (que já não possui nenhum dos adesivos originais, removidos ou cobertos por outros adesivos).
CampusParty2009-Dia4_084.jpgApós um almoço bacana, fui para uma das palestras que mais desejava assistir, que era a de Direito na Internet. A pergunta feita por todos era: o Direito conhece a Internet? No meu entender a resposta era não, pois o tipo de legislação que tem sido feita não apenas é inócua, como é absurda. Mas não pude expressar minha opinião. Preferi deixar a minha vez para falar para um rapaz que estava ao meu lado e parecia entender mais de Direito que eu. De qualquer modo, fica registrado aqui minha opinião: advogados, promotores e juízes, procurem os geeks antes de tomarem decisões burras que tirem do ar sites como Youtube, Twitter e WordPress. Usem o direito ao parecer técnico ao seu favor. Pode lhe poupar noites de sono mal dormidas ou ao menos um karma potencialmente negativo.😛
Em seguida, fui arriscar a sorte no Yahoo! e me dei bem, ao menos parcialmente: queria uma conta pro do Flickr e ganhei uma camiseta. O rapaz que foi em seguida queria a camiseta e ganhou a conta pro do Flickr. Não precisa ser esperto para somar dois e dois e ver que trocamos o que ganhamos. E todos sairam satisfeitos.
CampusParty2009-Dia4_151.jpgJantei e fui ver a palestra do Mazoni, presidente do SERPRO, onde eu trabalho. Bem, a coisa é que ele falou sobre o Demoiselle, o framework que o SERPRO desenvolveu para aplicações voltadas ao governo Federal. Uma palestra elucidativa para os desenvolvedores, pois ele deixou claro todos os termos de licenciamento do Demoiselle e como desenvolver para ele. Então, para o pessoal do Free Software, a hora de desenvolver aplicações para o governo é agora!
Esperava que após isso a noite fosse tranqüila. Mas isso não aconteceu. A programação da Campus Party previa a apresentação do rapper DeLeve. Mas as letras do mesmo e o tipo de som (no caso, estilo Furacão 2000 Tsunami), levou a uma verdadeira revolta generalizada na Campus Party, que quase foi às vias de fato quando um dos campuseiros arrancou o pino do microfone do rapper e começou um bate boca. Opinião pessoal: não gostei do tipo de som e achei que foi uma escolha infeliz da organização. Enquanto o protesto se resumiu a vaias e “E fora”, estava bem, assim como a réplica do rapper (não que eu aprove algum dos lados, mas os protestos de parte a parte estavam dentro do que poderia-se chamar “validade”). A partir do momento em que um dos campuseiros, porém, arrancou o pino do rapper, pode-se dizer que ele perdeu a razão. Como diria Asimov em Fundação: “A violência é o último refúgio do incompetente”. Da minha parte, meu protesto foi bem simples: enfiei meu headset no ouvido, montei uma playlist de músicas de anime e fiquei no meu canto, sem dar a mínima bola para o rapper em questão.
Ainda consegui entrar para dormir antes de um barraco onde dois campuseiros dito amigos brigaram após um deles se assanhar para cima da outra. De minha parte, eu estava dormindo bem, ouvindo Antena 1 saindo do meu Nokia N73.

Dia 5 (Sexta, dia 23/01) – Lei Azeredo e Dança da Chuva com Cadeiras

Bem, o dia começou quente na Campus Party, e não na temperatura: o dia estava frio, ainda que agradável desde que não fosse para dormir. Nessa hora o saco de dormir me serviu bem. Na verdade, o dia foi quente devido à polêmica do rapper DeLeve, além do pessoal alegar roubos na Arena de notebooks, celulares e câmeras digitais.
Para mim, o dia começou normal: massagem no Terra (e squeeze). Sem palestras relevantes, realizando downloads e/ou passeando na área Expo & Lazer, caçando o loot.
CampusParty-Dia5_035.jpgNa hora do almoço, teve a palestra sobre DNSSEC e Segurança na Internet do Demi Getschko (acho que assim mesmo que se escreve), do Comitê Gestor da Internet no Brasil. No caso, ele falou sobre a implementação do DNSSEC (uma forma de DNS seguro que envolve o us de certificação digital dos servidores de DNS para evitar o spoofing de DNS) e sobre outros fatores de risco na Internet. Além disso, ele deu sua opinião sobre novas legislações para a Internet, dizendo que pouca coisa exige uma legislação adicional e que a maior parte das leis existentes se amplicam à ela também. De certa forma, essa foi uma preliminar para o debate sobre a Lei Azeredo que viria em seguida.
CampusParty-Dia5_158.jpgCampusParty-Dia5_123.jpgPor volta de 4 da tarde, as atenções se voltaram para o palco do Software Livre, enquanto uma quantidade assustadora de geeks, nerds, ativistas da liberdade de expressão e da inclusão digital se reuniram para o debate da Campus Party sobre a Lei Azeredo. Não preciso dizer que essa lei é inócua, inútil e perigosa, mas ainda assim o debate foi correto, pois representantes daqueles que desejam um estado mais policialesco estavam lá. Apenas sinto que o Senador Azeredo tenha se ausentado e mandando um representante, ao invés de ele próprio vir ao debate, o que era esperado não apenas por mim, mas por todos os campuseiros, que queríamos realmente debater essa lei. Além disso, as contínuas manifestações do público acabou comprometendo o tempo a ser usado no debate, o que não permitiu perguntas por partes do público, o que prejudicou o debate. De qualquer modo, no meu álbum do Flickr pode-se ver algumas fotos do debate, inclusive o protesto veemente e silencioso contra o PL e o repúdio dos campuseiros à ausência do Senador Azeredo, ao virarem as costas à mesa no momento em que seu representante fez suas considerações finais dando o debate por encerrado.
A noite, no palco do Momento Telefônica, aconteceu uma palestra sobre Mobilidade e Acessibilidade na Web, onde apresentaram a questão do Guia de Acessibilidade na Web (Web Accessibilty Guidelines) e da questão do planejamento de Websites para aqueles que possuem deficiências como as relacionadas com a coordenação motora, daltonismo, cegueira e o caso do Português X LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). No caso, foi apresentado como caso exemplo o de uma usuária cega que demonstrou como ela utiliza o computador por meio de um leitor de tela (um programa que “lê” o conteúdo da tela para o usuário, em geral cego). Como tenho amigos cegos, sei o problema que eles sofrem. Eu mesmo, não sendo cego, tenho problemas de acuidade visual (minha visão é comprometida ao ponto de exigir óculos desde os 15 anos de idade).
CampusParty-Dia5_251.jpgCampusParty-Dia5_248.jpgApós isso ainda fui assistir à apresentação do Noosfero, uma plataforma opensource para redes sociais produzida no Brasil que me interessou muito. O pessoal tá usando nele o Ruby on Rails, um framework bastante novo e bastante interessante para a produção de sites Web. Gostei da idéia do sistema e pretendo colaborar com ele no futuro, ainda mais pois ele parece ser extensível, e adicionar novos recursos a esse sistema poderia ser algo muito válido. Interessante foi que, durante a palestra, percebi que um dos índios que estavam na Campus Party (não gente a toa, mas índio mesmo, como em parte de um povo indígina. :P) estava vendo a palestra. Isso é que é inclusão digital: índio não quer mais apito, índio quer é notebook mesmo!😀
Novamente achei que teria uma noite de sono tranqüila, mas na verdade não tive pois (1) algum infeliz passou a mão na bunda de uma das coelhinhas da Playboy e praticamente queimou o filme do pessoal (claro que ela deve ter saído com a típica impressão de “nerd-nunca-vê-mulher-e-quando-vê-abusa”) e (2) o pessoal, sem motivo aparente (ao menos para mim), resolveu gritar e fazer bagunça no meio do evento, incomodando os demais campuseiros e quase provocando o fechamento do mesmo por ordem judicial. Minha opinião: ano que vem vou levar uma buzina daquelas estilo pegadinha do Rodolfo e ET, pois se algum infeliz vier com “eu não durmo, ninguém dorme”, na manhã seguinte vou acordar o espertinho. Desculpem, gamers, não vejo problema em o pessoal varar noite jogando e tal. Mas tem gente que quer, e seria bom que o povo tivesse respeito por quem quisesse dormir.
CampusParty-Dia5_229.jpgCampusParty-Dia5_227.jpgComo nota final, queria ressaltar o protesto bem humorado da galera contra o traffic shaping (redução proposital de velocidade conforme o tipo de protocolo) onde foi disponibilizado um post-mix (uma máquina de refrigerantes) com Coca-Cola Normal, Light e Zero, mas a Zero e um dos bocais da Normal com sua velocidade de saída reduzida, como acontece com quem usa torrent em alguns provedores. Um protesto bem humorado e que ajudou no fornecimento de cafeína aos campuseiros!😀

Dia 6 (Sábado, dia 24/01) – Tá chegando a hora…
CampusParty-Dia5_005.jpg

O Sábado começou já com um clima de fim de festa. Imagine assim: faz seis dias que você dorme em barraca e tal. Mesmo para quem foi que nem eu que procurou dormir um sono regular, no fim você já está meio quebrado. Se você vara algumas noites e dorme mal as outras, a situação é de derrota total, como no caso do amigo da foto ao lado (na verdade, tirada na Sexta, mas como não tinha nenhuma dessa situação no sábado, vai essa mesmo).
CampusParty2009-Dia6_013.jpgCampusParty2009-Dia6_040.jpgPoucas palestras nesse último dia (como disse, o clima é de fim de festa). No caso, fui ver a palestra sobre quadrinhos na Web do Karlisson do famoso quadrinho “Nerdson não vai à Escola“. E claro que o próprio Nerdson não poderia deixar de estar lá, mostrando também o poder do Creative Commons: um cara fez um boneco de animação no melhor estilo Cocoricó do Nerdson e levou na Campus, sendo que o danado apareceu na palestra do Karlisson. Gostei da palestra pois não fazia idéia do trampo que dava formatar os quadrinhos para serem publicados na Internet.
CampusParty2009-Dia6_190.jpgPois bem, o resto do dia foi sossegado: fim de festa é assim mesmo. Continuei baixando coisas da Net e passeando pelos stands. De qualquer modo, a diversão ainda existia, como a do povo que montou uma torre com as latas de RedBull consumidas pelos Campuseiros. E tava fácil pegar RedBull: tinha umas moças que de tempos em tempos distribuiam e também tinha uma promoção do site PagSeguro vendendo RedBull a 1 real (isso mesmo, apenas 1 real)
CampusParty2009-Dia6_175.jpgPor fim, o último Momento Telefônica que vi foi a divulgação do TORP (The Open Robot Project), um projeto de um robô opensource, totalmente divulgado na Net, tanto software quanto esquemáticos, usando protocolos livres para comunicação e componentes padrão de mercado para montagem. Foi um pouco assustador: por mais geek que eu seja, não dá para deixar de pensar em Skynet ou HAL nessa hora. Mas as imagens do centro de controle do robô acalmaram um pouco: o olho estilo AstroBoy dava mais conforto.😛
Ainda deu tempo para mais protestos inusitados contra a restrição de acesso: o mesmo povo que tava distribuindo Coca Zero com traffic shaping estava silkando camisetas com ícones de memes famosas na Internet. No caso, acabei pegando duas camisetas “I Can Has Freedom” (brincadeira com os LOLcats do I Can Has Cheezburger). A idéia era também pegar uma com a estampa “Free Numa” (do gordinho do Numa Numa Dance). Na verdade, fica a sugestão ao pessoal: se fizerem outra dessas, sugiro que façam uma “Free Deva” (Prabhu Deva, o cara do “Vai Rivaldo”) e uma “All your Freedom Are Belong to Us” (da famosa All Your Base Are Belong to Us).
Depois disso, no encerramento oficial da Campus Party à meia-noite começou a distribuição generalizada de brindes (a xepa, por assim dizer). Ganhar umas bolinhas de massagem valeu a pena. Desmontei minhas coisas e fui para a barraca.

Dia 7 (Domingo, dia 25/01) – Levantando acampamento

Pouco a se dizer, nenhuma foto a se mostrar. Acordei cede e, após um banho, guardei tudo no guarda volumes. Tomei café, voltei ao acampamento e desmontei a barraca (que encontrei montada) com alguma ajuda de outros campuseiros. Juntei toda a minha tralha (devidamente acrescida do loot) e dei baixa na barraca e no equipamento. E subindo em um taxi me despedi da Campus Party 2009.

Valeu a pena?

CampusParty2009-Dia6_196.jpgEssa pode ser a pergunta que você esteja se fazendo. Estou terminando esse post a quase uma semana do fim da Campus Party 2009. E posso dizer que sim, valeu a pena. E não apenas pelos 10Gbps de velocidade de  download.
Para ir em um evento como a Campus Party, você tem que estar pronto para alguma fuzarca. Ficar bravo é okay, mas não adianta se estressar por bobeira. Que nem no caso do DeLeve, o negócio é você ficar de boa na sua e nem se envolver em nada. Senão ainda sobra para a sua cabeça e para piorar quem sai de ruim é você.
Se voltaria? Com certeza! Pela farra e pelos amigos sim.

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

One Response to Campus Party 2009 – Resumo da Ópera (Longo)

  1. Mike disse:

    Just passing by.Btw, your website have great content!

    _________________________________
    Making Money $150 An Hour

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s