Os usuários estão no Linux… E nós, estamos prontos para isso?

A algum tempo, li essa entrada no Blog Technix, do Monthiel, onde ele fala sobre o “problema” de lidar com o famoso usuário. Sim, aquele usuário que pensa que “salvar no editor de texto” quer dizer que você salva no programa, quando salva-se o arquivo com o programa. Realmente, isso pode ser um problema, principalmente quando o usuário passa para um ambiente no qual algumas vezes o problema não são os usuários pentelhos, mas sim os usuários esnobes. Será que custa ser um pouco gentil com usuários novatos?
Eu sou da seguinte opinião: Acho que um usuário deveria sim conhecer um pouco sobre computadores. Não muito, mas o suficiente para que ele conseguissem encaminar alguns conceitos básicos, fundamentais, que farão parte do dia a dia deles como usuários. É como nos carros: nenhum motorista precisa conhecer totalmente o funcionamento de um carro (exceto se ele for um mecânico de automóveis), mas deve ser capaz de entender como verificar o óleo do motor (e porquê disso), como usar um macaco, por que algumas vezes o freio engasga… Essas coisinhas fundamentais. O mesmo vale para o computador: saber o que é um modem, o que são placas de rede, discos… Essas coisinhas básicas.
Agora, será que nós, que chegamos na frente nessa revolução, estamos preparados para encarar isso? Pelas respostas do artigo de reflexão no BR-Linux.org, eu diria que não.
O Linux Advocacy mini-HOWTO é uma obra que costum considerar uma obra prima sobre a questão de “como promover o GNU/Linux”. Existem vários comentários que o autor faz e que são pertinentes. Coisas como compartilhar experiências (boas e ruins), ajudar com links para fontes de ajuda, e coisas assim. Mas a melhor parte é essa:

Tente responder pelo menos uma vez por semana a um post de um novato. Procure por aquelas que sejam as mais complicadas, pois você pode ser o único capaz de responder essa pergunta e você pode aprender algo no processo.

É importante que sempre nos lembremos que, um dia, todos fomos novatos, com dúvidas bobas sobre como montar um dispositivos, compilar um programa ou carregar o módulo de kernel para aquela placa de rede que não funciona nem a pau. Essas coisas são úteis nesse momento. É lembrarmos que mesmo Jesus Cristo foi humilde e nos lembrou sobre isso ao lavar os pés dos apóstolos.
Não estou defendendo que se preste consultoria de graça, mas acho muito importante lembrarmos que somos parte de uma comunidade. Qualquer besteira que fizermos, qualquer resposta ríspida que oferecermos, seremos nós que iremos pagar caro.
Ajudar as pessoas no início do GNU/Linux é difícil. Algumas vezes pode ser que nem mesmo nós saibamos as respostas para as perguntas (não, aqui “42” não é uma resposta válida… :P). Não precisamos responder com coisas do tipo “RTFM” ou “Google is your friend“. Educação e respeito pela “novatice” alheia pode ser uma coisa muito mais util para o GNU/Linux do que ser um über-hacker.
Bem, acho que dei meu recado… De qualquer forma, procurem pensar muito nisso.
Os usuários estão vindo. Alguns já chegaram…. E nós, estamos prontos para isso?

Technorati Tags: , , ,

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

3 Responses to Os usuários estão no Linux… E nós, estamos prontos para isso?

  1. Pingback: O papel da comunidade no Linux e no Software Livre « Linux… e mais coisas

  2. Pingback: Meio-Bit e a polêmica das traduções em SL « Linux… e mais coisas

  3. Pingback: Meio-Bit e a polêmica das traduções em SL « Linux… e mais coisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s