ODF: Consenso emergente em favor de um formato padrão de documentos unificado?

Por Mark Shuttleworth

Link original: http://www.markshuttleworth.com/archives/132

Ainda é cedo demais para ter certeza, mas há muitos sinais encorajadores de que as organizações de padronização de todo mundo irão votar a favor de um padrão único para formatos de documento na ISO (International Standards OrganisationOrganização Internacional de Padronização). Já existe um formato de documentos padronizado, o ODF, e atualmente a ISO está considerando uma proposta para abençoar um formato alternativo, o OpenXML da Microsoft, como outro padrão. Nos movimentos mais atuais, os comitês de padronização da África do Sul e dos Estados Unidos disseram ambos que irão votar contra um segundo padrão e desse modo irão lançar uma luz sobre a necessidade de união em um padrão sensato, aberto e comum para documentos comerciais na área de processadores de texto, planilhas eletrônicas e apresentações.

É muito importante que nos apoiemos nessas decisões corajosas e convocássemos nossos comitês nacionais de padronização para apoiar a idéia de um padrão único comum para esses documentos críticos.

O modo como a ISO funciona é interessante. Há algo em torno de 150 países membros que podem votar em qualquer proposta específica. Normalmente, algo em torno de 40 países realmente votam. Para que a proposta passe, ela deve receber 75% de votos “sim”. Países podem votar “sim”, “não” ou “abstenção”. Portanto, normalmente bastariam 10 “nãos” ou abstenções para que uma proposta seja mandada de volta para uma maior consideração. Nesse caso, porém, a Microsoft tem trabalhado duro e gasto rios de dinheiro para convencer diversos países que normalmente não votariam a apoiar o formato que ela propôs.

Portanto existe algo concreto que você pode fazer, agora, nesse instante, nesse momento! Descubra qual organização é responsável pela representação do seu país junto à ISO. Na África do Sul é o Bureau de Padronização Sul-Africano (South African Bureau of Standards – SABS), e nos EUA acho que é a ANSI. (NT: No Brasil, a organização responsável é a Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT). Há uma lista de alguma dessas organizações nesse link mas ela pode não ser completa, portanto você não precisa desistir se o seu país não estiver listado aqui!

Entre em contatos por ele, por telefone ou email, e pergunte a eles qual comite estará avaliando a proposta do OpenXML. Então prepare comentários para esse comitê. É realmente importante que os seus comentários sejam profissionais e corteses: você está lidando com pessoas de um alto nível técnico que tem uma responsabilidade enorme e levam-a a sério – eles não irão o levar a sério se os seus comentários não estiverem bem redigidos, escrito com cortesia e parecerem lógicos.

Se você tem uma opinião técnica forte, foque em um problema técnico único que você acredite que seja a melhor razão para que a proposta da Microsoft seja declinada. Existem vários bons argumentos descritos nesse link. Não apenas reescreva uma idéia já enviada – encontre um ponto técnico específico que signifique para você e o descreva de maneira sucinta e cuidadosa por você mesmo. Você pode o fazer de maneira curta, de apenas um parágrafo, ou mais longa. Há algumas sugestões de como proceder ao “falar com órgãos nacionais” aqui.

Aqui estão alguns pontos que eu considero particularmente interessantes:

  • Esse não é um voto “a favor ou contra a Microsoft”

Na verdade, esse é um voto a favor ou contra um padrão unificado. A Microsoft é um membro do comitê que define o ODF (o formato ISO atualmente existente) mas está na esperança de que seu formato seja considerado um padrão, ao invés de participar do comitê em questão. Um voto de “não ao OpenXML” é um voto contra múltiplos padrões incompatíveis entre si, e portanto um voto em favor da unidade. Se o voto da ISO for “não”, então haverá todos os motivos para esperar que a Microsoft irá adotar o ODF e ajudar a torná-lo um padrão ainda melhor para todos, inclusive para eles. Se manarmos uma mensagem firme para a Microsoft de que o mundo deseja um formato único e unificado, e que o ODF é o melhor caminho para que esse formato seja definido, então teremos um formato unificado e global, que incluirá a Microsoft. A importância dessa questão é que muitos técnicos governamentais reconhece a posição fundamental que a Microsoft exece em suas operações e países, e temem votar de uma forma que pode custar o dinheiro público. Se eles acharem que um voto “não” possa tornar impossível para eles trabalhar com a Microsoft, então eles irão votar “sim”. Claro que a Microsoft está falando para eles tudo isso, mas a verdade é que a Microsoft irá abraçar um formato unificado se as organizações de padronização em todo mundo afirmarem que isso é uma demanda.

  • Padrões abertos e consensuais funcionam REALMENTE BEM – veja o caso do HTML

Nós já temos um sucesso total na definição de um formato de documentos aberto, no caso o HTML. O Consórcio W3 (W3 Consortium – W3C), que inclui a Microsoft entre outras companhias, define o HTML e o CSS. Embora inicialmente a Microsoft tenha resistido à idéia, preferindo empurrar as extensões proprietárias à Web do Internet Explorer, ela acabou no fim das contas a participar das discussões do W3C. O resultado é um format de documento altamente rico, com muitas implementações diferentes. Muito dessa riqueza da web atualmente veio do fato de que existe um formato de documentos e interações na web totalmente aberto. Dê uma olhada em uma página Web comum e então dê uma olhada em um documento Word comum, e pergunte a si próprio qual desses formatos é mais impressionante! Claro que o Word poderia se beneficiar se ele fosse um padrão aberto, e não definido por apenas uma companhia.

  • Um padrão ÚNICO com várias implementações é MUITO mais valioso que múltiplos padrões.

Imagine o que poderia acontecer se houvessem padrões diversos de documentos Web incompatíveis entre si. Você não poderia ir a um site Web qualquer e imaginar que ele iria funcionar. Você teria que saber qual formato seria usado no site. O fato de haver um padrão de documentos Web aberto – o HTML – é a mola propulsora da eficiência da Web como repositório de informação. A Web é um exemplo claro de como o ODF é a estrutura preferencial para um padrão público. O ODF, o padrão existente, é definido de maneira aberta por diversas companhias, e a Microsoft pode participar como todas as outras. Eles saberm que podem – e eles participam de discussão sobre outros padrões na mesma organização. A Microsoft irá dizer que “múltiplos formatos permite que os consumidores escolham”, mas eles sabem que ter um único padrão que evolua de maneira rápida e eficiente, como o HTML, oferece muito mais valor. Os efeitos de rede na troca de documentos significam que um padrão em qualquer evento irá emergir como dominante, e o importante para os governos, negócios e consumidores que o padrão EM SI ofereça maior escolha em implementações As pessoas não compram um padrão e elas não usam um padrão de documentos. Elas usam uma ferramenta de software ou hardware. Se o “padrão” puder ser manipulado por apenas uma ferramenta de um fornecedor, no fim das contas os consumidores não terão escolha quanto ao fornecedor. Considere o valor do ambiente de telefonia celular GSM, com centenas de fornecedores de soluções seguindo um padrão único para o mundo todo, comparado com a ineficiencia de países que permitiram que redes proprietárias fossem implementadas em freqüências públicas. O ODF já é implementado por muitas companhias diferentes. Isso quer dizer que já existem muitas ferramentas diferentes que as pessoas podem escolhar para trabalharem com seus documentos ODF de maneiras diferentes. Algumas dessas ferramentas são preparadas para uso na WEB, outras para armazenamento de documentos, outras para análise de dados, e outras para edição. No caso do OpenXML, não há nenhuma implementação completa do mesmo. Isso porque mesmo o Microsoft Office 12 não implementa OpenXML da maneira correta. Além disso nenhuma outra companhia desenvolveu nenhuma ferramenta para gerenciar documentos OpenXML. A Microsoft tenta fazer parecer que já exista uma ampla participação, mas analise um pouco mais fundo e perceberá que tudo está baseado em apenas uma companhia. O padrão ODF é um formato muito mais adequado para armazenarmos nossos documentos.

Eu gostaria de agradecer o time da TSF pelo trabalho que tiveram em participar do comitê de padronização Sul-Americano. Eu espero que cada um de vocês que tenham lido até aqui peguem o telefone dos órgãos de padronização e entre em contato com os mesmos para ajudá-los a tomar uma decisão adequada.

Os EUA, a África do Sul, a China e outros países irão votar “não”. Não permita que um lobby intensivo influencie o que deveria ser uma discussão calma, racional, sensata e acima de tudo técnica. Padrões são importantes, e ainda mais quando definidos em fóruns abertos e transparentes. Entre em ação!!

Office OpenXML (OOXML) e inapto pela ISO 29500

Powered by ScribeFire.

About these ads

Sobre Fábio Emilio Costa
Linux, Free Software, EMACS, Rugby, Indycar, Doctor Who, Harry Potter... Yep, this is me!

One Response to ODF: Consenso emergente em favor de um formato padrão de documentos unificado?

  1. Pingback: O que a Microsoft e sites pornô têm em comum? « Linux… e mais coisas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.